Foto
09 mar

Novas tecnologias na produção da silagem de qualidade

Tema será discutido em palestra no auditório 2 do CTC

Mostrar ponto a ponto o que afeta a silagem de qualidade, desde a colheita até o fornecimento aos animais. Este é o objetivo da palestra ‘Novas tecnologias na produção da silagem de qualidade’, que será realizada no dia 6 de abril, das 13h30 às 14h30, no auditório 2 do Centro Tecnológico COMIGO (CTC), em Rio Verde (GO). O tema será abordado pelo médico veterinário e gerente de Suporte Técnico da Lallemand, Lucas Mari, durante a programação da TECNOSHOW COMIGO 2017. 

Segundo ele, cada passo nesse processo tem sua importância e a silagem, falando economicamente, é um ‘passivo’ que se leva, geralmente, um ano inteiro. “Isto é, se a silagem for mal conduzida, o problema estará na frente do produtor por todo o ano. Pouco, na verdade quase nada, se pode fazer para ajustar uma silagem ruim. Para melhorar, apenas na próxima oportunidade”, reforça.

Lucas avalia também que nos dias de hoje, qualquer possibilidade de diminuir os custos de alimentação é importante. “Boa parte do custo de produção é oriunda do custo alimentar. Este último, por sua vez, é muito dependente do custo da forragem. Uma silagem de bom valor nutritivo é uma forma de diminuir o uso de concentrado e, normalmente, o custo energético da forragem é menor que o custo energético oriundo de concentrado”, acrescenta. 

Tecnologias
O médico veterinário da Lallemand informa que, sem dúvida nenhuma, a maior parte das pesquisas relacionadas à conservação de forragens está direcionada ao uso de aditivos, dentre eles, os inoculantes. “Os inoculantes mais atuais no mercado mundial serão apresentados na palestra. Mas um assunto bem interessante que também será abordado é a apresentação de um sistema de cobertura de silagens, utilizando barreiras de baixa permeabilidade ao oxigênio. Esse sistema de cobertura diminui muito as perdas superficiais da silagem, além de trazer impacto também no valor nutritivo e sanidade microbiológica da silagem”, relata. 


Mais sobre a TECNOSHOW COMIGO
A TECNOSHOW COMIGO chega à 16ª edição, em 2017, consolidada como uma das principais feiras de tecnologia rural do Brasil, sendo a maior do Centro-Oeste. A perspectiva para este ano é alcançar ou superar o volume de negociações de 2016 - quando a feira registrou R$ 1,3 bilhão - e receber mais de 100 mil visitantes no período de 3 a 7 de abril, no Centro Tecnológico COMIGO (CTC), em Rio Verde (GO). A feira terá mais de 550 empresas como expositoras, marcando presença em uma área de 60 hectares. A feira começou, em 2002, quando a COMIGO deu início ao trabalho de geração e difusão de tecnologias agropecuárias, em Rio Verde, numa área que hoje ultrapassa 130 hectares (área total do CTC), onde a cooperativa promove experiências tecnológicas o ano todo, em parceria com diversas instituições de pesquisa, de ensino e outras empresas. 

FICHA TÉCNICA
16ª edição da TECNOSHOW COMIGO
Data: 3 a 7 de abril de 2017 (segunda a sexta-feira)
Local: Centro Tecnológico COMIGO (CTC) - Rio Verde – GO (Anel Viário Paulo Campos, Km 7, Zona Rural)
Horário: 8 às 18 horas
Serviço: Geração e Difusão de Tecnologias Agropecuárias, Exposição e Dinâmicas de Máquinas e Equipamentos, Palestras, Exposição de Animais e Dinâmicas de Pecuária. 
Site: www.tecnoshowcomigo.com.br
Twitter: @tecnoshowcomigo

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
Assessoria de Comunicação da COMIGO
Weuller Freitas – (64) 3611-1522 / 99627-9897
Bruno Kamogawa – (64) 3611-1690 / 99282-2213
Samir Machado – (64) 3611-1647 / 99941-2288

Voltz Comunicação – Assessoria de imprensa da TECNOSHOW COMIGO
jornalismo@voltzcomunicacao.com.br - (62) 3924-4462
Ana Manuela Arantes – (62) 98142-6323 – anamanuela@voltzcomunicacao.com.br
Fernando Dantas – (62) 99227-2631 – fernando@voltzcomunicacao.com.br
Renan Rigo – (62) 98522-6645 – renan@voltzcomunicacao.com.br

Compartilhe:

Google +